Como é Feito

 

A partir do cozimento de duas plantas nativas da floresta Amazônica, o cipó Banisteriopsis Caapi, também conhecido popularmente como Jagube e folhas do arbusto Psychotria Viridis (chacrona), conhecida popularmente como Rainha, que contém o princípio ativo do Santo Daime, Dimetiltriptamina (DMT).

Nos humanos, a DMT é produzida naturalmente pela glândula Pineal. Pesquisas indicam que a Pineal irá produzir DMT em grandes quantidades em pelo menos dois momentos das nossas vidas: no nascimento e na morte, ou ainda em situações de grande estresse traumático. Pessoas que experimentam “situações de quase morte” relatam efeitos semelhantes aos das experiências com DMT (visão de luzes fortes, portais, ícones religiosos, etc.)

O Santo Daime é produzido em ritual chamado de FEITIO. Nele as mulheres preparam as folhas (colheita, limpeza e separação). A colheita é feita em clima de concentração e interiorização através do silêncio ou do canto de diversos hinos da doutrina do Santo Daime. Já os homens preparam o cipó (colheita, corte, limpeza e masseração). O processo de masseração é chamado de BATEÇÃO, onde um grupo de homens bate o jagube, em rítimo uníssono e compassado, até que este seja totalmente transformado em fibras. Este trabalho é feito em clima de muita concentração e entoação de diversos hinos, além da consagração da bebida.

Além destas tarefas principais, são realizados outros trabalhos, limpeza dos espaços, corte de lenha, limpeza do jagube, alimentação, entre outros, sempre executados por integrantes da irmandade, fortalecendo entre si o senso de comunidade e responsabilidade quanto a produção da bebida que será consagrada durante nossas sessões.

Os trabalhos são coordenados pelos chamados “Feitores”, responsáveis por coordenar a execução de todas as tarefas, além de cuidarem dos pontos de cozimento do Daime, retirada das panelas e envasamento da bebida.